Calendário : Junho

Arraiá do Chi Pul Pul

O Arraiá Chi Pul Pul nasce em 1997 com o objetivo de resgatar as tradicionais festas juninas da cidade e divulgar a cultura caipira, fortemente arraigada na identidade local. O nome do evento é uma tentativa de reproduzir o som do “foguete de vara”, tradicional em festas religiosas, pois tem a simbologia de espantar maus espíritos e deixar o ambiente propício para as comemorações. Esse evento compreende diversas atividades culturais, entre elas comidas típicas, arrasta-pé, casamento caipira, bonecões gigantes, Festival de Música Junina, Concurso de Quadrilhas, realização e apresentação de brincadeiras e danças típicas, tais como: Correio Elegante, Dança do Sabão e Dança do Caranguejo.

Já o Festival de Música Junina surge com o intuito de fomentar, preservar e divulgar essa tradicional musicalidade regional brasileira encontrada em todas as festas juninas espalhadas pelo país, que é composta por diversas vertentes como: baião, forró, xote, valsa, marcha, entre outros. Uma das grandes atrações do festival está na sua irreverente premiação: um bezerro para o primeiro lugar, uma leitoa para o segundo lugar, um pato para o terceiro lugar, um frango para o quarto lugar, um ovo para o quinto lugar e uma pena para o sexto lugar. Atualmente, o Arraiá do Chi Pul Pul é realizado no Mercado Municipal de São Luiz do Paraitinga, o qual é todo decorado com os tradicionais balões e bandeirolas que fazem reverência aos três Santos típicos da festa: São João, São Pedro e Santo Antônio.

 

Corpus Christ

Corpus Christi (expressão latina que significa Corpo de Cristo) é uma festa Cristã. É um evento baseado em tradições católicas. É realizada na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade que, por sua vez, acontece no domingo seguinte ao de Pentecostes.

Poucas cidades ainda conservam o hábito de ornamentar suas ruas para a passagem anual do Santíssimo Sacramento. O povo luizense chega a “competir” para ver quem termina de arrumar a rua mais cedo e qual delas ficará mais bonita. Com criatividade, usam flores, pó de serragem, capim, cal colorido por tintas e outros materiais inusitados que fazem surgir belos desenhos. A diversão até a hora da procissão é andar pela cidade e contemplar as ruas e os adornos das casas.

Crédito – Fotografias: Angelica Del Nery, Cris Bittencourt, Benito Campos

Login de Acesso