Calendário : Maio

Festa do Divino Espírito Santo

A Festa do Divino Espírito Santo de São Luiz do Paraitinga/SP mantém, na atualidade, muitos elementos típicos da cultura popular, destacadamente a constituição de uma fortalecida identidade local, a presença da oralidade e uma memória pautada em padrões coletivos e elementos altamente simbólicos e agregadores. Através desta manifestação é possível perceber a grande capacidade de plasticidade e transformação da cultura popular e deparar-se com novas possibilidades de interpretação tanto da história local, como do espaço de manifestações populares na sociedade contemporânea brasileira. A Festa do Divino é um momento de muita devoção, cuja relação das pessoas direto com o sagrado é marcante. Possui, ademais, manifestações dita “profanas” que são marcantes como a distribuição de alimentos – destaque ao afogado, um tradicional cozido de carne com batatas – , danças folclóricas, leilões, bingos entre outros. Esta manifestação como um todo é considerada uma das mais tradicionais do país. A Festa do Divino Espírito Santo tem origens pagãs nos cultos de distribuição de alimentos ligados aos círculos das colheitas ainda na Idade Média.  Ganhou suas feições católicas a partir da organização de louvações em louvor ao Divino e com forte caráter solidário com a rainha Isabel de Castela no século XIII. Chegou ao Brasil segundo os estudos logo no início da colonização acontecendo inicialmente em várias regiões do país. Em São Luiz do Paraitinga, especificamente, a primeira referência documental, segundo o pesquisador Jaime de Almeida, data de 1803. E, já se fala, de uma casa construída especificamente para sediar o Império do Divino Espírito Santo, constituindo a idéia de uma festa já pré-existente e, de certo modo, estruturada. De lá para cá a festa aconteceu ininterruptamente em suas manifestações religiosas. No campo dito “profano” sofreu uma forte interrupção, de 1917 a 1943 quando a cidade recebeu como pároco um padre italiano, Monsenhor Gióia, que chegou com a orientação de um maior controle sobre a religião das pessoas. Mas, mostrando a força do popular, quando a festa é restaurada em 1943, volta com toda a força e com todas as manifestações anteriores. A Festa do Divino Espírito Santo de São Luiz do Paraitinga/SP possui uma estrutura comum da maioria das festas do Divino que conhecemos em outras cidades porém, acrescenta muitos elementos da cultura popular local. Apresentação de músicos da cidade, grupos folclóricos cantando seus versos sobre pessoas, lugares das redondezas. A distribuição do “afogado” é um grande atrativo. Além da participação da procissão e dos principais eventos do Rei e da Rainha Congo, algo impensável na maioria dos lugares dentro de uma festa típica das Irmandades brancas e de elite na história cultural do país. A data de sua realização é ligada ao calendário religioso, Pentecostes – cinqüenta dias após a Páscoa, porém, é muito interessante que esta data é uma das apropriações da Igreja do paganismo pois a festa era realizada sempre na época das colheitas, solstício de inverno – daí a forte ligação com o rural em sua estrutura.

Crédito – Fotografias: Angelica Del Nery, Luciano Coca, Cris Bittencourt, Nana Vieira

Login de Acesso